Subidas | MTB | Hercilia Najara | TSW Bike

3 dicas leves para você performar bem nas subidas

De todos os obstáculos presentes num percurso de MTB, as subidas são, sem dúvida, um dos maiores desafios enfrentados pelo ciclista. 

E não adianta fugir das dificuldades, pois, se você quer ter progresso no seu desempenho, precisará de boas estratégias para se sair bem nas subidas.

Praticar MTB é sinônimo de dor e sofrimento?

Com certeza não. Bom… não exatamente.

Qualquer esporte que seja te trará alguma dor, nem que seja inicial. A diferença está no fato de que as “dores” de um esporte não precisam ser sinônimos de sofrimento e baixo desempenho. Sacou?

O MTB exige técnica de quem pratica. Isso está condicionado ao seu preparo físico e mental, além das boas condições da bike.

O que o ciclista precisa é distinguir quais são as dores causadas pelo pedal, para assim, aprender a driblá-las. É o que acontece muito com ciclistas iniciantes e até experientes, quando o assunto é escalar!

Por que as subidas nos causam tanta “intimidação”?

Na verdade, a palavrinha mágica que tanto aterroriza os pedaleiros é a: fadiga.

Sentir-se cansado é tudo o que um ciclista não deseja, principalmente quando se busca a alta performance no treino. E parece até ser impossível não se render ao desgaste de uma ladeira íngreme.

Porém… só parece.

É totalmente possível você conseguir evitar a fadiga excessiva numa subida e dar segmento ao seu giro numa boa. 

Basta colocar em prática estas 3 estratégias simples:

#1 – Opte por giros mais rápidos

Girar com as marchas mais leves da bike pode ser a melhor opção para quem deseja performar legal nas subidas. Não só seus giros ficam mais rápidos, mas também a recuperação da sua energia.

Estando com marchas leves, você aumenta a cadência (quantidade de giros por pedalada) e não deposita mais tanta força sobre os pedais, o que resultaria o cansaço. 

A única dificuldade será no início, caso você ainda não esteja acostumado a pedalar com rapidez, mas logo seu corpo se adapta. 

#2 – Permaneça sentado no selim

Difícil também é não querer levantar do selim para dar aquele impulso na bike durante uma subida. Acontece que este impulso é bem ilusório se analisarmos bem.

Quando levantamos, o nosso peso não é devidamente distribuído sobre as duas rodas da bicicleta. Enquanto tentamos depositar o máximo de força sobre a roda da frente, deixamos a roda traseira vulnerável.

Ainda que você coloque toda sua força na roda dianteira, não será suficiente para tornar a bike “leve” ao encarar o morro e ainda te dará uma enorme fadiga. Sem contar que após concluir a subida, sua recuperação é muito mais lenta devido o nível de energia gasto.

Então, que tal se poupar do esforço em vão e pedalar do jeito correto? Seu desempenho será muito melhor.

#3 – Acerte na calibragem do pneu

Os pneus da sua magrela devem estar devidamente calibrados e sem exageros para mais ou para menos. Se estiver “duro demais”, fica propenso facilmente a derrapamentos, o que pode te atrapalhar bastante.  

Contudo, se a pressão estiver muito baixa o risco de furos ou quaisquer danos causados por forte atrito são maiores. Encontre o perfeito equilíbrio na hora de fazer a calibragem e mete o pé!

Nosso intuito ao praticar MTB é justamente transpor os obstáculos com muita garra e preparo. Então, nada de desistir. Mantenha-se firme e segue o plano, beleza?! 

Tamo junto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Menu

Quickview

Fechar

Categorias